28 de dez de 2010

Precisamos de uma Secretaria de Turismo.

Estou lendo dois livros sobre dois países bem distantes, China e Japão.
Quero ir para lá no ano que chega, não sei em que mês mas quero ir.
Se for, vou fazer uma viagem única, um tempo em um outro tempo em outro,mas em uma ida só.
O que me chamou a atenção nos livros é a importância que eles dão ao turismo.
Bom, todo esse blá blá blá sobre os países orientais para eu poder fazer uma pergunta; porque nenhum governo torna a Paratur uma secretaria ?
Dizem que Simão tem esse objetivo, tomara que seja verdade.
O turismo movimenta muito dinheiro, e o Pará tem esse potencial amazônico que encanta os americanos, orientais e outros povos.
Mas aqui o turismo vem sendo tratado como uma coisinha qualquer, sem importância. Me lembro de Ann Pontes contando que não havia recurso para nada na Paratur.
Talvez Jatene possa arrumar isso, dar a importância que o turismo merece e que vem recebendo em boa parte do mundo.
Nossas matas, nossos rios, nossas frutas, nossa culinária, nossa música, nossas praias, tudo isso pode se tornar motivo de renda para muita gente.
O turista gasta quando está viajando, não tem lá muito controle sobre seu bolso, e gostando de um lugar, faz a maravilhosa propaganda boca a boca.
E quer pouca coisa, informação, infra estrutura mínima, lugares limpos, diversão diferente da que está acostumado, um prato inusitado, um sabor diferente, uma vista que encante...
Uma secretaria de turismo, com recursos, pode ser o trampolim para o setor se desenvolver por aqui.
E olha que somos um dos poucos estados que não tem uma, é até vergonhoso.
O que seria bom para muita gente, do vendedor de picolé a tacacazeira, do taxista ao dono de hotel.
É chegado a hora do Pará ter uma Secretaria de Turismo.
Mãos a obra Jatene.

4 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Bacana,

China e Japão são países orientais e não ocidentais como você postou. Nos livros que você comprou e diz estar lendo deveria ter tal informação, caso não tenha peça seu dinheiro de volta na livraria.

Anônimo disse...

Como sua visão muda com o tempo.
Há um ano atrás sua edição
"histórica" da Revista e seus
programas deram visbilidade
a este projeto que se finda
Não houve uma linha sequer
que remetesse a este seu
posicionamento.
Eu já vi e por estar neste meio,
um minuto de tv e uma revista de
comportamento e mercado como a que vc tem "mudar o mundo"...
É lamentável que com este tempo
que tens..e com o apoio que tiveste
não te preocupaste em ser mais
positivo e propositivo para com
o que agora comentas.
Um dia mesmo,sendo neutro com
relação ao trabalho dos outros, o Jovencio dizia entre uma e outra,
"perdoai-vos ó pai..eles ainda não
sabem o que fazem com a midia.."
A gente se virava para por o Minuto d Univ no ar..e espaços
erfam "perdidos nas emissoras.
Vá a China ..e depois ao Japão,
não faça a viagem em sentido inverso..senão vc poder ter um
troço.." A comunicação chinesa já praticas ...mas será imprescindivel
conhecer o conceito nippon..
Talvez isto lhe ajude.Os tempos
são outros ...vc precisa contribuir
para resultados,pelo tempo que por aqui estiver.
Boa viagem ..esparamos quye volte diferente.

Anônimo disse...

O que o Pará tem a oferecer na área do turismo que possa concorrer com o Amazonas?

Talvez o Marajo, mas sem infra-estrutura?

Anônimo disse...

Quem pagará essa tua viagem?
Quantos anúncios precisarás para obter esse (altíssimo) valor?

Rárárá.
Pergunta pro Bacury...