22 de dez de 2010

Protestos

Teve uma plenária de cultura com Jatene na época da campanha. Músicos, atores, cantores e uma pá de gente dando apoio para Simão.
No meio Edilsom Moreno se levantou e disse poucas e boas sobre a forma que os artistas eram recebidos por Paulo Chaves.
Aí foi a abertura da porteira, todos os artistas reclamaram da mesma coisa.
E disseram que não querem Pailo Chaves; palavra dos artistas em reunião com Jatene nesse dia.
Jatene desconversou, colocou panos quentes.
Isso significa o que ?
Sei lá, é só uma informação.

6 comentários:

Anônimo disse...

Olha, concordo que o Paulo Chaves seja um mala. Mas especular o Edilson Moreno para Secult já é demais.

Que tal Paes Loureiro?

Anônimo disse...

Marcelo a verdade sobre o fato é real ate certo ponto , realmente o Edilson Moreno deu uma queimada braba no filme do Paulo Chaves , foi aplaudido por todos porem o fato sofreu mudanças, a seqüência foi de denuncias de como os comandantes de Hangar , Casa da Linguagem , Curro Velho , Teatro da Paz , Radio Cultura estavam procedendo , inclusive com valores de propinas ou percentuais cobrados.

Quando foi descrito as exigências financeiras o Jatene balançou a cabeça deixando de maneira clara que já tinha tomado conhecimento do fato.

Talvez para se necessário utilizar na campanha!

Uma vez encerrada a primeira seção sobre colocações da classe (foram duas rodadas) o Jatene em pronunciamento falou a inexistência de verbas para investimento pesado na classe artística e intelectual.

Nova rodada essa agora mais suave, tive a oportunidade de colocar que se a situação era grave que fossem esquecidos os projetos individuais e priorizados os coletivos tal como uma peça de teatro com artistas, músicos, atores, bailarinos , roteirista ,composições, direção , adaptação todos paraenses ou radicados , colocando inclusive que o Pará estava se tornando um celeiro de artistas e intelectuais de uma obra só por falta de apoio, que ele da ultima vez tinha sido alçado ao cargo de governador recebendo o time completo enquanto desta vez seu vôo era solo e assim sua liberdade também de escolher os seus auxiliares .

O Jatene parece que entendeu a mensagem e quando novamente pegou a palavra para fazer as considerações finais pediu projetos de cultura direcionados ao combate da
violência, deu o email de sua filha e do Ney para receber sugestões.

Acho que pode até por questão de amizade ou status o Paulo pode ser o Secretario o que eu duvido é que tenha a mesma liberdade , afinal não foi dado seu email para sugestões.

Porem para ser eleito é feito um acordo e para governar outro assim não sei se a Secretaria de Cultura esta na cota pessoal do Jatene!

Mestre Chico Barão

Anônimo disse...

Na campanha eleitoral de Jatene, Edilson Moreno foi nota 10. Podemos dizer que foi o ancora da propaganda na televisão e o jingle cantado por ele foi perfeito. Jatene, por questão de reconhecimento, deveria ter muita consideração com o Edilson Moreno ou então pagar-lhe super bem com dinheiro e gestos de afeto e apreço.

Anônimo disse...

Edilson Moreno é artista paraense e já ganhou o dele para fazer a campanha do Jatene. Agora querem dar secretaria para ele administrar? Ora gente, a César o que é de César, não vamos confundir.

Anônimo disse...

edilson moreno, nem pensar, tao loucos???

Anônimo disse...

Marcelo, estive presente na reunião pois fui convidado por contato telefônico por uma pessoa da Cultura, que fez um excelente trabalho no governo passado de Jatene.Chegando no local e analisando o ambiente, poderíamos citar alguns nomes dos presentes e possíveis candidatos ao cargo; Nilson Chaves, Edilson Moreno, quem sabe o Pinduca? já que assim como Edilson Moreno, também apoiou o governador eleito(já que esse seria um requisito para conquistar o cargo), Heitor Pinheiro(coordenador da campanha em Belém e experiente na área),Ney Messias(que é jornalista), dentre outros...Posso afirmar que a classe artística teve sua oportunidade de debater e desabafar a insatisfação com o governo do PT. Bom, como tem sido feito nas outras secretarias, que seja escolhido com coerência e bom senso.Pois ouvimos cada absurdo...